Jeisael Marx, o candidato “Liso” que mudou o rumo das eleições de São Luís

Desde o início da pré-campanha, o pré-candidato a prefeito de São Luís Jeisael Marx (Rede) tem pregado que é preciso que a política tenha espaço para quem não é filho de político, rico e das classes mais privilegiadas da sociedade.

O postulante ao cargo máximo da cidade insiste que o eleitor precisa se rebelar contra o cenário da política só dar espaço para os mais abastados e nunca para os verdadeiros “filhos do povo”, que conhecem a realidade da necessidade de serviço público: estudaram em escola pública, utilizaram o serviço de saúde pública, andaram no transporte coletivo, precisaram de algum auxílio governamental em grande parte da vida.

O discurso de Jeisael, que era visto até como desdém no começo da pré-campanha, não só começou a ganhar reverberação na sociedade, como mudou drasticamente o processo eleitoral em São Luís, em uma reflexão que parece ter vindo não só para entrar no debate da campanha, mas também para uma mudança de cenário político.

Por conta do discurso que Jeisael introduziu na eleição e tem aparecido fortemente nas pesquisas qualitativas, há três meses o pré-candidato Duarte Júnior insiste na ideia de que ele é diferente e teve uma vida difícil. Hoje, até fala hoje com orgulho do seu trabalho como palhaço, que tanto o constrangia antes. Por causa disso, Carlos Madeira tem se pautado muito na sua infância pobre no Bairro de Fátima.

E a maior prova de como Jeisael mudou a história da eleição 2020 em São Luís foi a escolha da candidata a vice na chapa de Neto Evangelista (DEM).

O candidato com maior estrutura, partidos gigantes, com nomes poderosos de empresários e vereadores de mandato que disputavam a vaga, escolheu como vice uma mulher negra e militante do povo, mais conhecida como Nêga do Coroadinho.

Uma grande representatividade do povo que sente as necessidades do serviço público e da falta deste.

Foi uma decisão inteligente de Neto, que poderia ter cedido a pressão das forças políticas que queriam impor os velhos nomes tradicionais – como ocorrerá nas outras candidaturas mais poderosas – mas ele entendeu o clamor da sociedade por se sentir representada nesta eleição e bancou o nome de Luzimar.

Mas sem a ousadia de Jeisael em entrar na disputa pela prefeitura de São Luís e colocar no debate a necessidade de espaço de poder para quem sente na pele a falta dos serviços públicos, dificilmente Luzimar seria lembrada.

Aliás, a candidatura de Jeisael foi a primeira a ter uma mulher como vice, Janicelma Fernandes,também trazendo para o debate a igualdade de gênero, que já é obrigatória dentro do partido Rede, pelo seu estatuto.

Seja qual for o resultado da eleição, a candidatura de Jeisael Marx já valeu a pena por trazer um debate importante e mudar significativamente os rumos do processo eleitoral de São Luís.

 

Clodoaldo Corrêa

Sobre Vinicius Praseres

Vinicius Praseres é jornalista formado em 2015 pela Faculdade Estácio São Luís. Estagiou no jornal O Estado do Maranhão, depois foi convidado para a produção do programa Chegaí e programa Sucesso (TV Cidade, afiliada da Record). Foi repórter e apresentador do programa São Luís Agora (TV São Luís, afiliada a Rede TV). Locutor publicitário , já prestou serviços para a Jovem Pan, Rádio Nova FM, 92 FM e Rádio Líder. Foi repórter da Famem (Federação dos Municípios do Estado do Maranhão). Hoje é editor do Portal Imprensa 360.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *